Importância sobre a privacidades dos Dados Pessoais

A LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados foi promulgada no ano de 2018, cujo principal objetivo é garantir a privacidade dos dados pessoais captados pelas empresas. A necessidade da criação desta lei se baseia em vários escândalos de violação de dados que tornaram públicos e prejudicaram milhares de pessoas.

Ao continuar lendo este artigo você conseguirá compreender melhor os motivos pelos quais os dados pessoais devem ser protegidos.

1. Por que devemos nos preocupar com a proteção dos dados pessoais?

Primeiramente, temos que entender que proteger dados pessoais não é apenas proteger os dados das pessoas, mas sim resguardar os direitos e liberdades fundamentais dos indivíduos que estão relacionados a esses dados. Portanto, é necessário saber que a privacidade é um direito constitucional e que não pode ser violado.

Os dados pessoais, quando repassados a uma empresa com o intuito de receber um bem ou serviço, devem ser mantidos em sigilo. Devemos estar atentos ao fato de que, diariamente, muitas informações sobre quem somos e como nos comportamos são captados, seja através de ‘websites’ que navegamos, locais que efetuamos compras, redes sociais e até fotografias que tiramos com dispositivos móveis. Cabe observar que dispositivos conectados à ‘internet’ deixam rastros de informações particulares.

A LGPD é de extrema importância para regulamentar os processos de captação e tratamento dos dados pessoais, de modo a certificar que as empresas tomem medidas adequadas de proteção de dados.

2. Por que empresas devem se preocupar com a violação dos dados pessoais?

As empresas que coletam, guardam e tratam dados pessoais, podem sofrer danos significativos à sua reputação e arcar com multas e penalidades caso haja violação a esses dados.

As organizações que implementam processos de controles reduzirão o número de incidentes de segurança que resultam em violações da privacidade. Menos violações significam que a empresa não perde a confiança e, consequentemente, mantém seus clientes. Isso também significa que a empresa não precisa lidar com multas ou ações civis como efeito subsequente de violações.

As organizações que explicitamente deixarem claro que protegem a privacidade de seus clientes com práticas de segurança, criarão conexões emocionais com sua marca e, consequentemente, aumentarão o valor do seu negócio.

3. Boas práticas de proteção de dados podem cativar os clientes.

Com a chegada da LGPD, as pessoas estão muito mais conscientes sobre a privacidade. Pensando nisso, as empresas que se prepararem e seguirem as diretrizes desta lei serão capazes de cativar e reter clientes.

Em poucos meses, as empresas deverão estar preparadas para fornecer informações sobre os dados pessoais armazenados. Além disto, deverão ter um plano de ação caso sofra uma perda ou violação de dados, de modo a poder se comunicar e demonstrar que tomaram todas as medidas possíveis para manter as informações de seus clientes em segurança.

Perder dados é relativamente fácil de recuperar, mas perder a confiança de seus clientes pode ser quase irrecuperável. Portanto, ter boas práticas no processo de tratamento dos dados, não apenas ajudará a proteger os dados, como também salvar a credibilidade da marca.

Publicado por Juliana Heller

Sou uma pessoa determinada, planejadora e administradora por formação. Nasci com instinto de liderança. Entretanto, trabalhar com pessoas é algo desafiador e prazeroso e demanda conhecimento, por esse motivo, me especializei em psicologia organizacional. Percorri 20 anos em empresas, exerci a função de gestora nas áreas: administrativa, financeira e comercial. Nesse período adquiri profundo conhecimento em: segurança da informação, análise de risco, compliance, marketing digital, recursos humanos, eventos, entre outros. Certificada em LGPD, Gerenciamento de Risco e Governança de Dados, hoje atuo como DPO e consultora, além de ministrar workshops para empresas, de modo a se adequarem à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).